O dia do meu aniversário

Voltar

O meu aniversário em NY em companhia da minha filha foi sensacional! Fazia algum tempo que Julia estava desejando ficar sozinha com seu pai. E meu aniversário foi a grande oportunidade.
Minha esposa Adriana incentivou muito essa viagem e, realmente, eu também precisava estar um pouco só com a Julia.

Foi um bate-volta de dois dias. Amanhã já estou de volta em Sampa e feliz de poder recebê-los pessoalmente nas duas unidades do meu bistrô L’Entrecote d’ Olivier.
Mas quero aproveitar esse post e contar sobre o dia de aniversário que passei aqui em Nova York! Após uma noite de sono profundo, tomei café da manhã no hotel que fiquei hospedado, o Ace. Ele fica em Midletown a duas quadras da faculdade de cinema da Julia.

No horário de almoço, fui buscar minha filha na saída da faculdade. Esse momento me remeteu à época saudosa de quando eu ia buscá-la na saída do colégio no Rio de Janeiro.
Fomos almoçar no Catch em Chealse, um restaurante que a Adriana me recomendou visitar por servir uma batata frita trufada sensacional. Como vocês sabem, batata frita é o meu fundo de comércio! Como eu entendo bastante, decidi ir até lá experimentar.
Comprovei e gostei. O único porém: a trufa acaba sendo enjoativa e me acompanhou por algumas horas rsrs ….. bem diferente da minha batata frita do Entrecote, que você pode (e deve) comer em quantidade absurdas e nunca ficará com essa sensação.

Depois do almoço fomos para Brooklin conhecer e visitar o apartamento onde Julia mora e compartilha com as amigas da faculdade. O apê e o bairro são muito bonitinhos. Sem turistas, o Brooklin lembra a NY dos filmes antigos. Gostei.

A noite Julia tinha reservado uma mesa no Milos – o famosíssimo restaurante Grego na 55th, entre a 6 e 7 av. Uma opção sensacional para quem gosta de peixes e frutos do mar.

O meu aniversário

Depois, fomos para a super hiper tradicional casa de show de NY, o Blue Note. Fomos assistir ao show do Seu Jorge, que coincidentemente estava se apresentando na cidade.
O show foi maravilhoso, ainda mais na companhia das roommates da Julia, que vieram nos encontrar! Gracinhas de meninas. A Aurora é sueca e a Íris (a loira da foto) é americana.
Seu Jorge terminou o show cantando admiravelmente bem “Burguesinha”. A única nota falsa do show foi o Seu Jorge estar de óculos escuros e boina de lã cor de pano de chão “parafusada” na cabeça (olhem as fotos). Eu confesso que fiquei um pouco incomodado que a assessoria não avisou sobre a boina que ele usou para se proteger do frio da rua e o lembrou de tirar. Mas vocês me conhecem! Não aguentei e, depois de um tempo, entre uma música e outra, eu o chamei em voz alta e perguntei, brincando (claro), se ele estava ficando careca! Ele entendeu na hora o recado e tirou a boina com um gesto só e jogou no chão, atrás dele. Ficou muito melhor e mais harmonioso com o local, onde passaram os maiores compositores e interpretes de jazz de todos os tempos, como Miles Davis, Jimmy Smith, Amal Jamal e muitos outros.
Ahn!!! Acho que ele não sabe quem o chamou e avisou da boina… talvez ele fique sabendo que o pentelho sou eu!

Espero que, assim como eu, vocês tenham gostado do meu dia com a Julia na bela Nova York.

Comentários